10 Despesas DESNECESSÁRIAS para uma Startup

 

Não se desespere caso você tenha incorrido em algumas despesas extravagantes; mas uma grande lição (que merece um texto à parte) é a necessidade em se ater ao planejamento financeiro e não deixar para captar dinheiro/investimento quando se estiver sem um centavo no banco.

 

Ainda não há um consenso em qual momento uma startup deixa de ser uma startup, mas as despesas abaixo se relacionam sobretudo com as early stage. Com o crescimento, aquela tal startup não terá um arrocho financeiro tal qual padrão em empresas nascentes, ainda que continue sendo chamada de startup, de modo que algumas despesas que ora se lista como desnecessárias passarão a ser extremamente necessárias (algumas, friso).

 

Para evitar secar a fonte, confira as dicas abaixo.

 

  • Serviços web de subscrição para controle interno

 

Com o crescimento, startups precisarão de sistemas de gestão, financeiro, documentos, notas fiscais e etc. Todos os sistemas mais robustos são pagos e podem custar caro. No começo, no entanto, tudo pode ser feito com plataformas gratuitas ou com o pacote basicão Microsoft Office.

 

  • Altos Salários para os Fundadores

 

Opa, esse é um tema controverso. Se por um lado os fundadores são essenciais à existência e manutenção da startup, por outro, não podem significar o risco da mesma. A entrada de um investimento, sobretudo o anjo, não dá longa vida à empresa. Os riscos empresariais são enormes e de longo prazo, ao ponto de que um caixa de milhares ou milhão não necessariamente garante uma tranquilidade que permita o pagamento de altos salários. Deixe para ganhar dinheiro em dividendos (que, aliás, não se paga verba previdenciária). Pense em bônus de dividendos se quiser compensar o trabalho no osso por alguns meses.

 

  • Escritório super produzido

 

Algumas startups mal nascem ou pegam um primeiro investimento e já aplicam em estrutura física pomposa, que não necessariamente lhe garantirá mais vendas e penetração de mercado. É bem verdade que alguns segmentos exigem um espaço mais pensado/estruturado, mas não é o que acontece em 99% dos casos.

 

  • Equipamentos de mega ultra geração

 

A não ser que seu negócio venda a mega ultra geração (ou precise dela para vender algum produto), não tem porque investir na melhor câmera fotográfica, ou melhor computador possível, ou melhor impressora, ou melhor qualquer coisa. Invista no necessário para crescer organicamente, sem descontrole financeiro.

 

  • Contratação de mão de obra fora da hora

 

É legal ver o negócio crescer e surgir a necessidade de contratar mão de obra. No entanto, esteja certo de que está no momento dessa contratação. Além de aumentar o custo mensal, pode gerar um risco trabalhista.

 

  • Grandes festas ou exageros em viagens

 

Feiras de negócios são algo corriqueiro para startups. Numa única feira você se comunica com diversos sub-setores dentro da sua atividade. Mas extravagar nas viagens pode pesar lá na frente. Aquele X mil a mais que gastou em hotéis chiques, aluguel de carro “luxury” ou grandes festas pós-evento podem ser a sobrevida que você precisaria em momentos de baixa venda ou reinvestimento necessário.

 

  • Gastos com marketing que não se mede audiência

 

Não existe fórmula mágica de marketing. Todavia, as formas mais organizadas de publicidade (e que exigem muito dinheiro) geralmente possuem um sistema de métrica bem confiável para que você possa calcular o seu custo por usuário/venda. Sempre é uma estimativa, mas se você investe pesado em marketing que não pode medir, não terá como repensar rapidamente sua estratégia, justamente por desconhecer o possível erro.

 

  • Comprar likes, followers ou listas de email marketing

 

Lista de email marketing é coisa do século passado, literalmente. E-mails desativados aos montes e conversão baixíssima senão inexistente. A compra de seguidores ou de curtidas é, de plano, um marketing falso e transmite uma cultura negativa da empresa. Além do que, esses milhares de seguidores comprados não tem qualquer interesse pelo seu produto, de modo que tê-los não garantirá retorno financeiro.

 

  • Papelaria ou paparicos especiais

 

Apresentação é algo importante, e a sensação de profissionalismo é essencial. Startup deve se ater à necessidade mínima entretanto, deixando de lado custos com presentinhos impressos, embalagens super produzidas, grandes volumes e tipos de papelaria (envelopes, timbrados e etc…). Ganhe o cliente pelo conteúdo, e não pelo paparico ao redor (que pode, em algum momento, ser importante, mas não para a early stage).

 

  • Gastar dinheiro sem saber se consegue cobrir o gasto (receita)

 

Aqui se aplica aquela história de que algumas custos não são gastos, mas investimentos. E faz todo o sentido, pois para gerar receita sólida futura você precisará investir bastante no seu negócio. Grandes gastos, no entanto, não podem ser baseados na hipótese de receita, mas na certeza. Muitos negócios já falharam por estratégias erradas que demandaram muito custo (marketing de alto custo num momento impróprio, por exemplo).